terça-feira, 5 de abril de 2011

Physioclem aposta em Osteopatia em Alcobaça, Leiria e Torres Vedras




A Physioclem, clínica de fisioterapia, osteopatia e bem-estar, tem apostado, cada vez mais, na área da Osteopatia, não só através da formação dos seus profissionais, como também na divulgação desta prática junto do público em geral.

A Osteopatia é uma disciplina científica que estuda as disfunções do movimento ao nível neuro-musculo-esquelético, visceral e craniano, com base em técnicas exclusivamente manuais, com o objetivo de eliminar a dor e promover o equilíbrio da saúde.

A Osteopatia foi criada pelo Dr. Andrew Taylor Still, em 1874. Das suas experiencias clínicas surgiu uma proposta para uma nova filosofia médica que designou de “Osteopatia”, do grego osteo significando osso e pathy, sofrimento. Esta prática é reconhecida desde 1974 nos Estados Unidos da América, sendo igualmente reconhecida em alguns países da Europa, nomeadamente em Inglaterra, França, Bélgica, Suíça, Alemanha, entre outros.

Em Portugal, fruto da falta de regulamentação da profissão e do seu ensino, a formação base destes profissionais é muito variada, sendo a Escola de Osteopatia de Madrid, a lecionar no nosso país desde 2002, uma das instituições de ensino mais reconhecida, com um curso de 6 anos exclusivamente para Fisioterapeutas.

Qual a diferença entre a Osteopatia e a Fisioterapia em geral?
Além de um maior domínio das técnicas manipulativas articulares, a Osteopatia distingue-se por fazer uma constante procura da causa da sintomatologia (em vez de simplesmente resolver os sintomas) e por relacionar os sistemas músculo-esquelético com o visceral, o craniano e o vascular. É uma terapia que pretende ser holística e cujos resultados são muito rápidos.
É importante, muitas vezes, que o Osteopata trabalhe em parceria com o Fisioterapeuta, uma vez que o primeiro faz uma libertação e re-harmonização geral e o segundo trabalha para manter a nova postura, nomeadamente os músculos com vista ao treino de estabilidade articular. Deste modo, a Osteopatia e a Fisioterapia podem ser complementares.
A Osteopatia está indicada em todas as situações cuja disfunção do movimento ou da mobilidade esteja na base do problema: cefaleias, enxaquecas, dor de origem articular, ligamentar ou muscular, discopatias (discartrose, hérnia ou protusão discal), sequelas de traumatismos na cabeça ou outro local, sequelas de acidente de viação (Wiplash), disfunção da Articulação Temporomandibular, disfunção da deglutição ou da digestão (por hérnia do hiato ou apenas por tensão fascial), disfunções intestinais (por exemplo prisão de ventre ou colite), dor pélvica crónica, entre muitos outras.
A Physioclem conta com um grupo de profissionais experiente capaz de integrar de forma eficaz a Fisioterapia e a Osteopatia, promovendo assim melhores resultados no tratamento dos seus utentes.
Marco Clemente, Fisioterapeuta e Osteopata 

Sem comentários:

Enviar um comentário