terça-feira, 16 de abril de 2013

Já reparou como o seu filho se senta na cadeirinha do automóvel?



 




As crianças passam uma grande parte do dia sentadas, seja às refeições, na escola, em algumas atividades extra curriculares, a ver televisão, no computador, a fazer os trabalhos escolares, no carro, entre outras. A verdade é que a postura sentada, por si só, aumenta a possibilidade de sobrecarga das estruturas como: tendões, ligamentos, músculos, discos intervertebrais e articulações. Se a isso acrescentarmos hábitos posturais inadequados, mantidos no tempo e pouca atividade física, podem gerar-se alterações físicas importantes com prejuízo para a saúde. Muitos pais, mais atentos, dizem: “Coloca-te direito!”, mas como? Precisamos ser mais concretos.

Uma postura correta mantém o alinhamento das articulações e a flexibilidade das estruturas, características necessárias à estabilidade corporal e para que os movimentos sejam harmoniosos e realizados com um menor gasto de energia possível, só desta forma pode manter-se o bem-estar e o equilíbrio nas atividades diárias.

 A cadeirinha do automóvel constitui um local onde a maioria das crianças está todos dias, em muitos casos mal sentadas e durante muito tempo, por isso há que ter em atenção vários fatores da postura sentada:
1.      A criança deve ter as nádegas o mais atrás possível na cadeira;
 
2.      O cumprimento do ponto 1 facilita o apoio da coluna lombar, em ligeira lordose (curva concava para a frente), na cadeira ou no banco do carro, o que facilita o relaxamento da musculatura. Na maioria das vezes as crianças, incorretamente, escorregam pelo banco ou sentam-se muito à frente, desta forma não há apoio da coluna lombar, há aumento da cifose da coluna dorsal e o pescoço e a cabeça ficam demasiado para a frente;

3.      O resto da coluna deve estar chegada atrás, de forma a manter o apoio na cadeira ou no banco do carro;

4.      A face deve estar alinhada para a frente;

5.      Os ombros devem ser mantidos desenrolados e apoiados atrás, não devem estar enrolados e deslocados à frente, como acontece quando as crianças mantêm uma postura relaxada; 

6.      Deve evitar que as pernas estejam dobradas ou traçadas. As pernas devem estar paralelas de forma a facilitar a circulação e manter o alinhamento simétrico do corpo;

7.      A postura correta permite que o cinto fique bem alinhado e que não faça demasiada pressão sobre a região da garganta;

8.      Se estamos a falar de viagens longas, deve parar pelo menos de hora em hora, para que a criança mude de posição e alongue as estruturas.

Até as crianças terem 150 cm, 12 anos ou 36 Kg, a cadeira de apoio ou banco elevatório são obrigatórios, porque só desta forma o cinto ficará bem colocado na bacia. A cadeirinha do automóvel tem como objetivo proteger o seu filho em caso de acidente, mas também assume um papel preponderante na manutenção de uma postura correta e desta forma protegê-lo de problemas de saúde que não advém de um trauma, por isso use sempre a cadeira e tenha atenção ao seu conforto e ao alinhamento que proporciona.

A partir dos 15 até aos 36 Kg, desde que o cinto de segurança não incomode no pescoço e o automóvel tenha apoio para a cabeça, as crianças podem usar só o banco elevatório. Contudo se o carro não tiver encosto de cabeça nos bancos de trás é preferível usar cadeiras com apoio de costas, que por um lado proporcionam uma melhor proteção da cabeça e pescoço, por exemplo em caso de acidente com choque por trás, mas também porque permitem um melhor apoio e alinhamento da coluna cervical, tronco e ombros. Se a cadeira for suficientemente alta proporciona um apoio lateral só possível com a cadeira, o que protege a criança em caso de acidentes laterais e evita que a criança adote posturas com inclinação da cabeça e tronco que quando mantidas e repetidas no tempo podem provocar dor ou desconforto.   

Para mais informações acerca das cadeiras auto consulte:
 A equipa Physioclem. 

Sem comentários:

Enviar um comentário