terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

O SGA e o Desporto






O conceito de “desportista completo” começa a despoletar-se na cabeça de todos aqueles que estão envolvidos numa determinada prática física. O trabalho de força e de resistência muscular costuma protagonizar os mais diversos tipos de treino, sendo que, muitas vezes, o trabalho de alongamento/flexibilidade é deixado para segundo plano. Neste contexto, é importante afirmar que um desportista só terá uma relação de integridade para com a prática física se incluir nos seus treinos o trabalho de flexibilidade/alongamento muscular.


O treino de flexibilidade é específico de cada modalidade desportiva, mas dentro deste tipo de treino é relevante incluir um trabalho de alongamento de grupos musculares, organizado em cadeias e não exclusivamente um trabalho de alongamento analítico.

Como tal, a técnica do Stretching Global Ativo (SGA) apresenta-se como um método ideal para obter um óptimo alongamento muscular e a saúde que todos os desportistas podem e devem ter quando realizam uma atividade de maior ou menor impacto.

O SGA consiste na realização de auto-posturas de alongamento das cadeias musculares retraídas, baseadas nas posturas de tratamento da Reeducação Postural Global (RPG), adaptado à realidade desportiva.

Através da realização de classes de SGA com vários atletas ou mesmo individualmente, o fisioterapeuta especializado na técnica elabora programas de treino com posturas adequadas a cada modalidade desportiva.

O principal objetivo é aumentar o rendimento do atleta através do ganho de máxima amplitude de movimento, de forma harmoniosa e com o mínimo de compensações, maximizando o seu gesto desportivo.