Capítulo III: Sabe por quantas fases passa o seu sono?

08:58



Numa boa noite de sono, percorremos quatro a cinco ciclos, compostos por três fases de sono cada, com as suas características, qualidades e finalidades.
O Sono tem três fases importantes, a fase basilar é o sono leve. Este serve de passagem entre a vigília e o sono profundo. O sono profundo é a fase mais reparadora, mas tem de passar pelo sono leve para lá chegar. O sono REM (Rapid Eye Movement) é terceiro tipo de sono. É nesta fase que a maioria dos sonhos acontece. Durante um sono normal, um indivíduo percorre os estágios do sono de forma bastante previsível.


Sono leve

Representa o estado entre a plena consciência e o sono profundo ou o sonho. Mais de metade da nossa noite é passada no sono leve, através do qual fluem todas as outras fases. Se as transições para o sono profundo e sono REM forem afetadas, passamos mais tempo do que o normal nesta fase. Uma vez que o sono leve não é propriamente muito reparador, sentiremos que o sono é mau e em alguns casos dar a falsa sensação que não dormimos de todo. As pessoas que pensam que nunca dormem têm de perceber que podem apenas estar a passar demasiado tempo nesta fase.

Sono profundo 

É a fase do sono mais reparadora. Assemelha-se a um coma, porque há uma desativação cerebral e é essencial para o nosso cérebro, dado que faz como uma “limpeza”. Um período de repouso para ajudar as células a recuperar. Nesta fase, a atividade mental é mínima e os músculos estão totalmente descontraídos.
É durante este sono que há a maior produção da hormona do crescimento. Esta hormona ajuda o corpo a tornar-se jovem, saudável e a funcionar melhor: ajuda a reforçar os músculos, a fortalecer os ossos, a recuperar de lesões, a aumentar o funcionamento do sistema imunitário e a melhorar o nosso humor.

 O sono estabelece associações que nunca poderíamos fazer conscientemente. O cérebro adormecido escolhe as memórias a guardar e a descartar, no entanto a escolha não é necessariamente sensata. Nesta fase, o ritmo cardíaco e a temperatura corporal diminuem, qualquer consciência do ambiente exterior desaparece e entramos num sono profundo.
O sono reforça tão poderosamente a memória que talvez fosse melhor, por exemplo, de acordo com a neurocientista Gina Poe, que os soldados acabados de chegar de uma missão terrível não fossem imediatamente dormir. Por outro lado, não é aconselhado passar a noite antes de uma avaliação a estudar, porque o cérebro não consegue integrar a informação.

Sono REM 

Caracteriza-se pelo movimento rápido dos olhos e a atividade cerebral espelha a atividade no estado de vigília.   
É durante este período que a maioria dos sonhos ocorre (apesar de poderem acontecer noutros momentos). Os músculos com algumas exceções (olhos, orelhas, coração e diafragma) são imobilizados, a temperatura interna permanece o mais baixa possível. A sua finalidade é mal compreendida, mas uma das suas funções mais invulgares - do sono REM - pode estar na regulação da perceção de dor. Foram realizados vários estudos que analisaram a relação entre a má qualidade de sono e a dor. Indivíduos sujeitos a privação de sono REM eram mais intolerantes à dor. Os investigadores associaram também os distúrbios de sono ao desenvolvimento de doenças que envolvem dor crónica.


No final deste capítulo, entendemos para que serve cada fase do sono. No próximo, iremos começar a abordar algumas estratégias que poderá adotar para que tenha um sono mais saudável.


Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.