quarta-feira, 30 de março de 2016

"Na physioclem há sempre razão para sorrir e ser feliz"




 


Família. A palavra com maior significado na vida de Ana Amado. Núcleo no qual encontra forças para seguir a viagem da vida. É a avó que a emociona, que lhe deixa escapar umas lágrimas, entre a voz forte, firme e segura, que lhe é tão caraterística. A fisioterapeuta Ana Amado, da Boavista (concelho de Alcobaça), é um dos mais antigos e acarinhados rostos da physioclem. 

As lágrimas não são por acaso, se é que os há. Foi com a avó que Ana Amado foi criada. Os dias, até entrar na escola primária, e mesmo depois, eram passados em seu redor, na sua companhia. “Há uma ligação muito forte, que vai além das palavras. É dos sentimentos mais bonitos e profundos que tenho dentro de mim. É a minha segunda mãe, uma das pessoas que melhor me conhece”, testemunha. Hoje, a avó já não tem a vitalidade de outrora e pede outros cuidados. O tempo será o melhor conselheiro… A avó poderia ter qualquer outro nome, mas para o resto do tempo escreverá o mesmo nome. Uma herança de coração: Ana.
Todos os fins de semana são momentos de regressar a casa, a Alcobaça. “Sou muito independente, mas tenho de os ter por perto para me sentir bem. O facto de ser filha única, aproxima-nos mais. Adoro fazer festas e preparar surpresas”, adianta Ana Amado, que anda a organizar um momento especial, para alguém muito especial.
Todo o percurso escolar de Ana Amado, até à entrada na Escola Superior de Saúde de Alcoitão, foi feito em terras de Cister. A physioclem era, e é, a referência das clínicas de fisioterapia na região. Uma das razões que a levou pedir estágio a Marco Clemente. Terminado o curso, regressa a Alcobaça. “Queria voltar, fazer parte desta família e começar a minha vida”. Assim, aconteceu. É a terceira funcionária mais antiga e a que se mantém até aos dias de hoje.
Quando se somam os anos de “relação”, contam-se 11. Quando olha para trás, Ana Amado relembra que a physioclem existia, além de Alcobaça, nas Caldas da Rainha. “Tem sido uma experiência fantástica, gratificante. Uma forma de estar na vida que não trocava por nada deste mundo”, garante a fisioterapeuta de 31 anos. 
Com Luís Nascimento, também fisioterapeuta da physioclem, Ana Amado propõe a Marco Clemente a abertura de uma clínica em Leiria. Quem rejubilou com esta notícia foram os pais, Lina Ribeiro e Quim Amado, que insistiam para que abrisse um espaço em Alcobaça. “Não fazia sentido abrir uma na cidade, porque parte do meu crescimento profissional tinha acontecido na physioclem, não queria separar-me. Com esta possibilidade, cumpria também um dos sonhos da minha mãe”, explica.
Chegou a trabalhar horas e horas sem parar. Hoje, nem pensar! A maternidade trouxe-lhe outras responsabilidades, objetivos e prioridades. Os filhos João Maria, de 4 anos, e Francisca, de 18 meses, são a razão de toda a mudança. “São o melhor da minha vida. A razão de viver e de querer mais e melhor”.
Na physioclem, Ana Amado é a responsável por toda a logística, gestão/contabilidade e recursos humanos, além da fisioterapia. Ser mãe deixou-a ainda mais sensível e consciente dos valores familiares e humanos. Sabe, sem que ninguém a tenha de a alertar, da necessidade de viver em amor e harmonia. Valor que cultiva todos os dias nas relações pessoais e profissionais. 
 A ligação entre fisioterapeuta e paciente é muito forte. “Não trabalhamos apenas com as mazelas do corpo, criamos uma relação de amizade, de cumplicidade com quem entra na nossa porta. É muito gratificante porque fazemos amigos para a vida”. Ana Amado salienta que, por vezes, gostava de desligar-se dos problemas dos pacientes, mas não consegue. “Quando alguém que costuma vir todas as semanas, por alguma razão não vem, ficamos preocupados. Ligamos para saber se está tudo bem”. É isto, e muito mais, que tornam esta clínica tão especial.
Quando se entra na physioclem, sente-se a boa disposição. Os sorrisos são contagiantes. As amizades acabam por ultrapassar os limites da clínica. Levam-se para casa. “Quando acompanhamos algumas pessoas há vários anos, acabamos por partilhar algumas das nossas alegrias e tristezas. Os filhos são sempre um belo tema de conversa”, afirma Ana Amado. Só assim faz sentido. 
Na vida pessoal e profissional, Ana Amado é uma mulher feliz. As concretizações têm surgido no tempo certo. “Não me imaginava a fazer outra coisa. Ser fisioterapeuta é um sonho tornado real. Na physioclem há sempre razão para sorrir e ser feliz”. 
E por quê razão surge a fisioterapia na vida de Ana Amado? Uma prima teve um acidente de carro. Todas as semanas estavam juntas. Depois da ocorrência, Julieta ficou tetraplégica e foi internada em Alcoitão. Ana Amado foi visitá-la algumas vezes, familiarizando-se com aquele ambiente. Todo este cenário se completou quando um dia ouviu Marco Clemente a falar sobre a área. “Fez-se o clique”. Quando concorreu ao ensino superior entrou em Genética, na Faculdade de Ciências de Lisboa, mas a fisioterapia falou mais alto. A escolha do coração. 
Viajar? Viajar é uma das grandes paixões. Ana Amado cresce sempre que viaja. A sua alma regressa cheia de energia, pela aprendizagem que acabou de concretizar. A idade dos filhos ainda não lhe permite recuperar os voos de outros tempos. Tem outros, neste momento. Quando Francisca tiver mais uns aninhos, sabe que o mundo continuará à sua espera.
O valor da vida está nas pequenas concretizações. Nas concretizações que o coração dita. Ana Amado não tem dúvidas disso…


Luci Pais
 

Sem comentários:

Enviar um comentário