sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Quando é recomendada a lavagem nasal em bebés e crianças?





As secreções nasais ("ranhocas") acompanham bebés, crianças e os seus pais em lutas diárias para limpar os seus narizes!
Há muitas opções para lutar contra estes "inimigos" viscosos, mas na verdade são aliados. O muco das vias respiratórias é uma barreira defensiva. Quando algo irrita a mucosa, esta defende-se pela produção de muco. Sendo a sua função capturar e arrastar para fora o "agressor".
Como tal, a primeira consideração de muitos é: "Se é um mecanismo de defesa, não fazemos nada." A realidade é diferente. Todos os mecanismos de defesa do corpo podem não ser suficientes para conseguir limpar todas as secreções. Por vezes, a quantidade de muco é tal que não permite a passagem do ar através das vias respiratórias. Já aconteceu a todos nós respirar pela boca porque temos o nariz entupido.
Nesse caso, o que é melhor: Não fazer nada? Fazer alguma coisa?
Claro que precisamos resolver! Em adulto, conseguimos ter a percepção e ao introduzir soro pelo nariz conseguimos empurrar o muco para a boca e expulsar. E todos sabemos que este processo não é agradável!
Se uma criança respira bem, não precisa fazer uma lavagem nasal. Não devemos insistir para que o faça, para que não se torne um processo desagradável. As crianças não gostam de "assoar o nariz", por isso não devemos de dar estímulos desnecessários de coisas que não gostam de fazer.
E se não respiram bem? Depende!
Se o muco é claro: Quando uma criança tem um resfriado ou alergias e seu nariz é um rio de água que flui constantemente lavando é inútil. Poucos minutos torna-se igual.
Se o muco é espesso: É neste caso, que a lavagem pode ajudar.
Se houver congestionamento, mas não vemos o muco: Às vezes, a única coisa que impede a passagem do ar é a inflamação da mucosa do nariz. Em tais casos, a lavagem não ajuda. Embora às vezes a lavagem possa ajudar a humedecer o nariz, ou seja, não lavar, mas só colocar um par de gotas de soro fisiológico em cada narina.

Sem comentários:

Enviar um comentário