quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Razões para fazer fisioterapia respiratória a uma criança com expetoração







O frio voltou para mais uma temporada. A permanência nas escolas e creches facilita a partilha de vírus e de bactérias, trazendo problemas para as crianças. 
Durante o período de inverno, é comum as crianças mais pequenas terem gripes e outras infeções respiratórias. O sistema imunitário da criança está enfraquecido pelo frio. Devido a este, a mucosa respiratória recebe menos sangue e para se defender gera mais muco. Este muco, juntamente com vírus e bactérias, reduz a eficácia das defesas, sendo mais fácil ficar doente. 
Razões para fazer fisioterapia respiratória ao seu filho: 
O fisioterapeuta ensina os pais a realizarem uma correta e eficaz lavagem nasal ao filho. A respiração nasal evita que partículas indesejadas entrem nas vias respiratórias. O terapeuta ajuda a eliminar a tosse. Quando as lavagens nasais não são eficazes, e o muco está na zona da garganta a causar tosse e até mesmo vómitos, a fisioterapia respiratória é útil para eliminar todo este incómodo.
Em muitos casos, os sintomas persistem durante semanas ou meses. A fisioterapia respiratória, associada à terapêutica farmacológica indicada pelo médico, facilita a remoção das secreções mais profundas, diminuindo o tempo de recuperação, podendo mesmo levar a menor necessidade de medicação a posteriori. 
Após uma sessão de fisioterapia respiratória, é comum a criança começar a comer melhor. Uma criança com o nariz entupido não consegue respirar, pelo mesmo, e o comer torna-se uma tortura. A tosse facilita o vómito. Em suma, melhorando a respiração nasal e eliminando a expetoração acumulada na garganta o apetite vai aumentar. Também melhora o sono, fortemente perturbado pela tosse. Ao facilitar a eliminação dos mucos, o reflexo da tosse diminui e, assim, o sono deixa de ser tão perturbado, permitindo um melhor repouso. Em consequência, o humor e as capacidades físicas e intelectuais de pais e filhos saem beneficiados. 
Quando a presença das secreções perdura durante varias semanas ou meses, estão criadas as condições ideais para que uma nova infeção se instale. Com a fisioterapia respiratória poderão evitar-se recidivas. 
O agravamento da condição leva ao aumento dos internamentos hospitalares. Melhorando a condição clínica evita-se a ida ao hospital e com isso menor exposição aos fatores de risco. 
Uma criança que cresce com infeções respiratórias frequentes tem maior probabilidade de ser um adulto com patologia respiratória. 
Crianças felizes, pais felizes!




Sem comentários:

Enviar um comentário